sábado, 7 de fevereiro de 2009

Despedida

Eu Sou Rosália, Eu Sou o Vento Rítmico Branco
Voe o mais alto possível. Seja muito Feliz! Abra o seu largo Sorriso, olhe com o seu olhar brilhante e penetrante a sua volta, reconheça sua morada. Você voltou para casa!


Olá!!! Amigos,
Estou muito feliz com os comentários, em poder saber que estou ajudando. Sou grata por conhecer cada um de vocês. Espero sempre estar auxiliando, despertando, conscientizando.

Hoje em especial, descrevo uma amizade, uma dor e um enorme desabafo. Compartilho com vocês, esse sentimento e assim me despeço, e aos poucos vou me desapegando dessa amiga que amo tanto. Não fazer nenhum julgamento sobre os acontecimentos, não dá para pensar sobre isso agora, mas óbvio que a justiça deva ser feita. Por mais espírita, espiritualista ou outros que eu seja. Sempre é esperado a justiça sendo realizada de maneira plena. Mas eu só vou falar dessa pessoa maravilhosa, muito bela, de coração muito nobre, que conheci e de nossa amizade. Essa imagem de alegria, música, canto e dança são algumas que quero guardar, como é a ssência dela e não como ela desencarnou.


Despedida

Era uma quinta-feira qualquer de julho de 2007, quando fui participar de um encontro, que se tornou quinzenal em um Espaço Holístico. Lembro-me nitidamente, a sala lotada, era a inauguração do núcleo dos Amigos dos Espíritos Humanos na Vila Mariana. Eu havia chegado alguns minutos atrasada e sentei em um lugar bem na frente, não havia começado ainda. Mas lembro da Rosália, que depois seu nome virou Rô, iniciou com a voz trêmula a falar da criação do mundo, de Brahma, do pensamento e do som que se propagou e assim seguiu às 4 horas de palestra com parada para intervalo. Tinha achado o máximo a excentricidade, alegria, energia e sabedoria da Rô, aliás gostei de todas as pessoas, mas por afinidade e interesses tive um contato maior com a Rosália. Não parei mais de freqüentar os encontros, depois todos se tornaram muitos amigos, um sempre sentia a falta do outro, quando esse por acaso faltasse. A Rô sempre trazia temas interessantíssimos, ou que já tinha feito algum curso sobre o assunto ou estava estudando-o há algum tempo. Por ela ser artista, não só tocava qualquer instrumento musical, como também cantava, por isso tivemos muitas músicas, estudos sobre mantras de maneira única e riquíssima, meditações foram incontáveis as vezes que a Rô dizia: “agora é necessário parar a mente”. Depois ela começou a convidar palestrante para realizarmos juntos vivências sensacionais, únicas, que aproximavam a todos do grupo.

Fora dos encontros, conversávamos muito, nós trocávamos, compartilhávamos muito. Uma sempre dando conselho e desabafando com a outra. Os estudos foram ficando mais sérios, sobre ocultismo, cabala, hermetismo, calendário Maia, entre tanto outros temas. Até palestrante de outros países vinham estar conosco. Quando podíamos nos encontrar fora do grupo, intensificávamos nossos questionamentos, meditávamos, conversávamos muito. Li o Tarot e o Mapa Astral, para ela e em troca ela realizou a Terapia Nexus. Ambos ajudaram a Rô a fazer escolhas importantes naquele momento de sua vida. O que me deixou muito feliz, é que partiu da Rô fazer essa troca, e assim cultivamos uma amizade linda. Sou eternamente grata por tudo que você me ensinou e me ajudou na evolução de minha jornada.

Em dezembro do ano passado o último encontro foi realizado, mas muitos haviam faltado, naquela quinta estava chovendo demais, mas mesmo assim foi muito rico o aprendizado. Naquela noite estudamos um livro, o palestrante espanhol Pero, decodificou muita coisa. Após a aula ele estava com fome e queria jantar, porque os encontros iniciavam ás 19hs até às 22hs, sempre terminava com duas meditações profundas.

Fomos todos comer comida mineira, estávamos em cinco pessoas, a Rô, o Pero palestrante, a Márcia terapeuta, a Sandra dona do Espaço e Eu. Foi uma noite muito agradável, rimos muito, brincamos, falamos besteira, questionamos livros e comemos muito. Amei, mas ninguém sabia que era uma despedida, muita menos a Rô...

A Rô não realizava somente esses encontros, ela estava totalmente dedicada às artes. Dava aula de música para criancinhas em escola, fazia apresentações cantando, dançando, contando histórias, em grupos ou sozinha. Dava aula de Teatro para a Terceira Idade. Estava com planos para lançar o seu primeiro CD, já tinha entrando em estúdio, estava juntando dinheiro para a gravação, as composições dela estavam todas prontas. Havia apresentações marcadas para o mês de fevereiro, quase agenda lotada.

Nessa quinta dia 05/02, os encontros iriam ser retomados, com temas novos e até alguns palestrantes novos também, mas eu não pude comparecer, nesse primeiro encontro, e quase ninguém compareceu, nem a Rô... Acabei indo a uma palestra da Monja com amigas, na livraria Arjuna. Aliás, a palestra foi espetacular, ao abraçá-la senti uma energia tão boa de paz e amor, agradeci muito por aquele momento único e tão especial.

Mas as manchetes de jornais iniciaram a falar de uma mulher que havia sacado dinheiro do caixa eletrônico e reagido, como eram dois bandidos em uma moto, ela levou dois tiros na cabeça, foi socorrida pelo hospital Panamericano, inconsciente não resistiu à cirurgia e morreu. A questão é ninguém sabia sua identidade, porque sua bolsa já estava no 51. DP. e os policiais só tinham o celular a carteira foi roubada. Enquanto isso a Rô não dá sinal de vida na mesma quinta, até que a Sandra dona do Espaço que freqüento liga para ela confirmando o encontro daquele dia, e o delegado atende o celular da Rô. O que se segue foi o que deu nos noticiários, jornais tanto televisivos, quanto da Internet, a mulher que reagiu ao assalto e foi baleada na cabeça é a Rosália Albuquerque, a minha amiga a facilitadora dos encontros. Quando fiquei sabendo fiquei em choque e posso afirmar que é essa a palavra a todos que estavam no velório, todos estavam em choque. Não só os nossos amigos em comuns que são muitos, mas os artistas, músicos e muitos outros todos amigos dela. Sendo que há muitas pessoas que não foram avisadas por falta de tempo. Ela sempre foi muito querida por todos, sempre cultivava muitas amizades. Hoje e nesse momento, é muito dolorida sua partida. Uma sempre esteve com a outra, auxiliando, trocando, sendo cúmplices.

Rô, mesmo sofrendo muito, com o coração em pedaços, chorando muito, eu tenho que te agradecer, por tudo, pela amizade única, que ficou tão forte em tão pouco tempo de convivência. Pelas trocas, compartilhamentos e pelos aprendizados que você sempre me passou.

Pensar em você agora me vem muito o seu Kin Planetário, porque nesse momento é o que você representa e está seguindo com ele.

Eu Sou Rosália, Eu Sou o Vento Rítmico Branco

Eu Sou o Vento Rítmico Branco

Voe o tão alto possível.
Voe com a arte que tanto amou e foi sua companheira.
Voe com o som, que sempre esteve com você, com a música, com suas composições.
Voe com a dança, que te fazia flutuar.
Voe como se estivesse em um palco de teatro, você estreou quando nasceu, encenou milhões de espetáculos, de variados temas, mas as cortinas para nós da Terra foram fechadas, quando você retornou. Sua estréia vai ser mais brilhante e emocionante, terá outros papéis relembrará da maioria e aprenderá outros, onde for sua próxima morada.
Voe com paixão, que sempre teve por tudo que fez e faz.
Leve a sua alegria contagiante, que fazia qualquer encontro ou algo chato ser transformado em algo glorioso, com sua gargalhada típica, seu sorriso largo, e suas palavras, “está sempre tudo bem” e com seu excelente bom humor que sempre faziam todos darem ótimas risadas, como você dizia: “perco o amigo, mas não a piada”.
Leve a sua sabedoria, mesmo tendo tanta luz, sempre soube ser humilde, compartilhava com as opiniões de todos, sempre estudando, sempre tendo a mão um livro novo, de um tema novo a ser abordado em breve.
Leve a sua energia positiva, essa luz com você, um acreditar tão forte, que fazia você mudar de rotina e de vida a qualquer hora e momento.
Leve suas histórias, “a contadora de história”, não havia nenhum exemplo em que você não contasse sempre uma experiência pessoal, dentro do tema abordado.
Leve a sua suavidade, em lidar com o próximo, em todo tipo de situação.
Leve a sua sensibilidade, que é incrível, muito emotiva, perceptiva e intuitiva.
Leve a sua intuição, seu ponto alto, seu receptor de sinais e mensagens Divinas.
Leve a sua excentricidade, de ser, de viver, de ser única, de ser individual.
Leve a sua criatividade, de ousar, de polemizar, de se posicionar.
Leve o seu respeito com todos, não importando quem seja.
Leve o seu desapego, você tinha sua casa nas costas, tudo cabia dentro daquele carro, todos os seus instrumentos musicais para as apresentações daquela semana, suas roupas para as apresentações, livros, cds, tanto que você ficou um tempo procurando um cantinho para você morar sozinha e nada te incomodou. E mesmo quando arrumou o seu lugar, continuou carregando o mundo a seus pés.
Leve o amor, o carinho com o qual você tratava a todos, sempre cabia mais um, mesmo que não, se dava um jeitinho, a troca, o compartilhar, o doar sempre foi as suas ações durante sua jornada terrena.
Leve a sua Fé, você nunca desistiu de nada na sua vida, só fez mudanças, ajustes, e sempre seguiu em frente, sempre acreditou e fazia todos acreditarem em seus potenciais e capacidades. Leve a sua lealdade e honestidade incomparável, sempre com todos a sua volta e sua família.
Voe Vento o mais rápido que possa, sinta a verdadeira liberdade do seu ser, do seu Espírito, da sua Consciência.
Não saia do seu Rítmo, que é ligado no 220, para atentar mais seu foco, para não perder o seu caminho.
Fique no Branco, na Luz, porque é seguindo a Luz que você retornará para casa.
Voe sempre mais alto, sinta o vento, sinta a liberdade, passe o Portal da Luz e siga em frente, invoque aqueles que irão te auxiliar nessa nova jornada. Sinta o acolhimento desses Seres de Luz. Dê aquele sorriso largo, sinta esses seres de luzes a sua volta, olhe ao redor com aquele brilho contagiante no olhar que penetra, verifique, você voltou para casa. Fique em Paz, na Luz e Feliz.

Eu termino com a Saudação dos Amigos dos Espíritos Humanos, e agora Eu te Saúdo de uma maneira mais intensa e especial.

“Eu sou Karina e saúdo o grande Espírito Divino em você! Eu me vejo em você e sou grata pela oportunidade de compartilhar este momento em amor e confiança!”

Rô, vou sentir muito a sua falta! Mas agora nós daqui da Terra, temos que nos desapegar de você. Quem sabe daqui algum tempo você não envia mensagens. Você vai fazer uma imensa falta! Nunca te esquecerei, estará sempre em meu coração e nas lembranças mais belas. Você foi primeiro, em breve, nos encontraremos.

Amo-te Eternamente!!!


Beijinhos Eternos,


Ana Karina Fainascki Panzoni



8 comentários:

Fada Zinnia disse...

Olá Ana Karina,sem palavras.Que ela possa estar em paz e se desapegar de tudo.E a você e todos que ficaram muito consolo!

Sou também do blog fada Eliane.

Beijims de luz!

Pelos caminhos da vida. disse...

Nossa eu vi isso na tv,sinto muito Karina,que Deus conforte seu coração.

Vc já esta adicionado no meu msn.

beijooo.

Tatiana disse...

Karina... que triste o que aconteceu.
Que Deus fortaleça a todos os amigos e familiares.

Obrigada por seu comentário e deisponibilidade em conhecer e ajudar... pessoas como você são raras nesse mundo!

Que essa seja uma semana rica em realizações para o seu belo coração!

Um Beijo carinhoso

Eliane Santoro da Costa disse...

Olá Karina estou bem.O que postei foi para as pessoas que precisam de ajuda.
Agradeço sua visita aos meus blogs.Gostei muito também dos seus comentários.

Vou adicioná-la quando entrar no MSN.

Beijins de luz!

Anônimo disse...

Oi Ká, estava me lembrando do dia que comemos bolo juntas. Ela com aquela calça colorida, tão feliz...
Depois nos deu carona até o metrô, super astral mesmo.
Deus é perfeito e essa estrela irá brilhar em outra dimensão.
Fique bem, onde quer que ela esteja ela também está. E como sinônimo de alegria é o que espera dos que estão por aqui.

Pelos caminhos da vida. disse...

Vim agradecer vc amiga por compartilhar junto comigo o meu niver, meu muito obrigada.

Um gde abraço.

beijooo

Alex disse...

Oi Karina,
Muito legal o seu blog, aproveito para deixar os versículos da Mensagem Reencontrada que a Sandra na homenagem à nossa amiga leu:
Livro XXI

43."Quando os ímpios e os malvados do mundo nos desencorajarem, releiamos o Livro do Único. e a via triunfal brilhará nos nossos corações.Então o riso da nossa alegria assombrará e escandalizará os cegos repletos da certeza das suas trevas, e até mesmo os prestígios da morte nos parecerão vãos".
43'. Quando tivermos posto um santo livro em um coração generoso, teremos semeado o grão de ouro que germinará e que abrasará o céu e a a terra, mas se o coração está seco, não devemos nos desencorajar, pois a luz do senhor talvez repouse naqueles que estão perto dele, esperando o livre orvalho do Único para florecer e aparecer no mundo do amor".

Bjs,
Alex

Leonardo disse...

Rosália foi minha professora de teatro em Recife, muitos anos atrás, no grupo Boca de Forno. Todos nós sentimos bastante o que aconteceu, mas suas palavras são bem reconfortantes nesse momento. Rosália está viva na gente.